top of page
  • Foto do escritorArnaldo Paes de Andrade

Data Driven: saiba o que significa e como aplicar ao negócio

Com a transformação digital, adotar as ferramentas e tecnologias que tornam a gestão mais eficiente não é mais um diferencial de empresas visionárias, mas uma necessidade para as corporações que desejam se manter competitivas e preparadas para o mercado.

Nesse cenário, um termo vem se destacando: o conceito de “Data Driven”. Ele está diretamente ligado ao grande volume de dados que a empresa produz e tem acesso por meio de inúmeras fontes. Quem melhor souber coletar e tratar essas informações, melhor direcionamento terá na hora de tomar as suas decisões.

Neste post, vamos entender o que significa Data Driven, como ele funciona, quais são os seus benefícios e como aplicá-lo em sua empresa. Confira!

O que é Data Driven?

Em tradução livre, Data Driven significa “orientado por dados” — ou seja, é quando a empresa passa a ter as suas decisões, nos mais variados setores, sendo tomadas com base em dados sólidos.

Para chegar a esse nível, as organizações precisam desenvolver a sua inteligência de negócios, contando com bons profissionais capazes de coletar e estruturar os dados em busca de insights, de acordo com a demanda interna.

Com as empresas imersas na transformação digital — produzindo conhecimento o tempo todo e com a possibilidade de captar informações externas de múltiplas fontes —, podemos dizer que a gestão Data Driven tem como foco aprimorar a seleção desses dados para transformá-los em assets.

Como funciona a gestão Data Driven?

A gestão Data Driven precisa, primeiramente, de uma equipe qualificada de profissionais que saibam quais dados devem ser coletados, atuando ao lado dos profissionais que têm a capacidade de encontrar insights nessas informações. 

Para isso, é importante utilizar uma análise computacional que consiga lidar com grandes volumes de dados — ou seja, será necessário que haja uma boa capacidade de armazenamento, de memória e de processamento.

É importante também, contar com uma ferramenta analítica de Business Intelligence, que seja dotada de tecnologias como inteligência artificial e machine learning. Assim, será possível tornar o processo automático, com a máquina aprendendo o tipo de dado que a empresa coleta e os padrões que são demandados para a boa gestão no setor específico em que ela trabalha.

Quais são os benefícios do Data Driven?

Como vimos, a utilização das soluções Data Driven permite que a empresa colete as informações corretas, armazene-as e interprete-as, para transformá-las em dados úteis para o crescimento do negócio.

Entre os benefícios competitivos que a gestão Data Driven pode trazer, podemos destacar:

  1. maior agilidade na tomada de decisão, sem abandonar a eficiência;

  2. mais precisão na hora de fazer previsões, facilitando o planejamento estratégico;

  3. aumento da capacidade de responder às demandas de mercado, oferecendo produtos e serviços melhores do que a concorrência;

  4. maior capacidade de se adaptar às mudanças inesperados;

  5. aumento da capacidade de planejamento de futuro e criação de estratégias certeiras.

Como aplicar a gestão Data Driven na empresa?

Agora que entendemos o que é Data Driven e qual é a sua importância para uma gestão sólida, vamos entender como a aplicação desse conceito deve ser feita em uma corporação. Confira!

Aprenda a lidar com os indicadores de performance

Os indicadores de performance, ou KPI, precisam ser bem desenvolvidos e utilizados para que a estratégia Data Driven possa ser implementada nos diversos setores de uma empresa. 

A partir da boa análise de indicadores, é possível verificar o que está dando certo e precisa ser impulsionado, e o que está abaixo do esperado e precisa ser melhorado ou encerrado.

Nesse cenário, podemos dizer que os indicadores contribuem para a simplificação da definição de metas, melhorando os resultados dos negócios e definindo o que cada colaborador ou setor deve fazer.

Conte com uma equipe qualificada

Não adianta ter uma boa infraestrutura e captar um bom volume de dados, se eles estiverem sendo subutilizados. Nesse cenário, é importante ter a capacidade de interpretá-los — e isso é conquistado com o trabalho de profissionais qualificados. 

Para extrair insights estratégicos das informações coletadas, a seletividade se torna primordial. Mas, para que essa seletividade não se transforme em perda de oportunidades, é importante ter uma boa interpretação de conteúdo para separar os dados que não entregam valor para a demanda específica, daqueles que merecem a devida atenção.

A partir desse tipo de interpretação, é possível acionar as ferramentas para direcionar a análise e a organização dos dados para que eles entreguem soluções.

Implemente uma cultura Data Driven

Para que a gestão Data Driven passe a ser a espinha dorsal de uma empresa, é importante que haja um compromisso para uma mudança de cultura organizacional.

Embora ainda haja gestores que acabem optando por basear a tomada de decisão em intuição ou experiência pessoal — mesmo entendendo a importância desses assets —, a decisão orientada a dados vem tomando conta do mercado.

Para não deixar que a empresa fique no meio termo entre a decisão baseada em dados e a decisão intuitiva, é importante que seja estabelecida a cultura Data Driven como padrão corporativo. 

Nesse cenário, todos os colaboradores e líderes devem ser capacitados para aprender a extrair os melhores dados e insights a partir de análises, de modo a entender o valor dessas informações para o crescimento dos negócios.

Em suma, a cultura Data Driven não deve ser apenas uma questão burocrática imposta de cima pra baixo — ela precisa ser o padrão.

Desenvolva o Data Driven Marketing

Assim como há a gestão Data Driven, há o marketing Data Driven, que consiste na criação de estratégias de marketing orientadas por dados.

Atualmente, a relação entre empresa e consumidores se dá de forma direta, sem filtros ou intermediário. É fácil para qualquer companhia avaliar e coletar dados públicos postados em redes sociais por seu público-alvo e gerar insights sobre eles. 

Respeitando a LGPD, é possível obter insights sobre o comportamento do consumidor a partir de ferramentas internas, como programas de fidelidade, formulários de pesquisa de satisfação, histórico de compras, solicitações de suporte e atendimento, entre outros.

Ao ter acesso a esses dados valiosos sobre o público-alvo e o mercado, a empresa poderá estruturar essas informações e criar estratégias de marketing muito mais certeiras, além de acompanhar as tendências para responder, de maneira rápida, às movimentações de mercado.

Com um marketing Data Driven bem estruturado, será possível:

  1. fazer a segmentação dos clientes;

  2. criar conteúdos relevantes;

  3. personalizar atendimentos e campanhas de e-mail marketing;

  4. conduzir testes A/B para saber o que funciona e o que não dá resultado;

  5. otimizar a experiência do consumidor;

  6. integrar as informações com o time de vendas.

Esperamos que, após a leitura deste post, você tenha entendido o que é Data Driven e quais são as suas principais características. Não perca a oportunidade de utilizar esses assets a favor de sua empresa e impulsione os seus resultados com base em dados sólidos.

Gostou do post? Então, siga-nos nas redes sociais e fique por dentro de todas as nossas dicas e novidades. Estamos no Facebook, no Instagram, no Twitter, no LinkedIn e no YouTube!

1 visualização0 comentário

Comments


bottom of page