top of page
  • Foto do escritorArnaldo Paes de Andrade

Do que se trata a segurança na nuvem, afinal? Venha descobrir!

Proteger a infraestrutura de tecnologia da empresa é a preocupação de toda organização. Afinal, como a TI se tornou imprescindível para empresas de diferentes segmentos e portes, todo cuidado é pouco para manter as atividades em pleno vapor.

Pensando nisso, preparamos um post especial sobre segurança na nuvem. Isso porque a cloud, como a tecnologia também é conhecida, está cada vez mais presente nas empresas, pela eficiência e facilidade no acesso. Boa leitura!

Qual é a importância de buscar a segurança na nuvem?

A primeira vantagem é óbvia. Como a nuvem tem sido cada vez mais utilizada como meio de armazenamento e compartilhamento de dados em empresas, buscar a segurança é uma maneira de proteger a própria organização — ao resguardar seus arquivos críticos.

Além disso, adotar uma política de segurança na nuvem também é uma medida que melhora a experiência geral do uso dessa tecnologia. Isso porque será mais fácil (e ágil) recuperar arquivos e evitar a paralisação das atividades da empresa, por exemplo.

Com essa precaução, a organização reduz significativamente as possibilidades de que os seus dados sejam comprometidos. Imagine que todo o trabalho desenvolvido em sigilo pelos colaboradores seja perdido por meio de uma falha ou um ciberataque que explore vulnerabilidades em sua nuvem. Não parece nada animador, não é mesmo?

Quais são os fatores que garantem a segurança na nuvem?

Agora, conheceremos os principais cuidados que devem ser observados para que a sua nuvem funcione com segurança, garantindo uma boa produtividade dos colaboradores.

Segurança de dados

Independentemente do tipo de nuvem que você implementar em sua empresa, será preciso protegê-la. Essa responsabilidade exige mesmo com um serviço de manutenção terceirizada.

Assim, podemos dizer que a segurança na nuvem é uma responsabilidade de todos que trabalhem na empresa. O uso de outras tecnologias influencia diretamente na segurança dos dados.

Portanto, é imprescindível utilizar apenas softwares confiáveis. É necessário verificar a procedência dos dados, quem os criou e se há possíveis riscos à infraestrutura. Um exemplo é o salvamento de arquivos com vírus e ransomwares, que podem comprometer todo o negócio.

Por isso, é necessário adquirir softwares apenas de fontes conhecidas e confiáveis, priorizando empresas que sejam referência no mercado. Outro cuidado é contratar apenas programas que contem com atualizações contínuas. Isso porque esses upgrades são feitos justamente para lidar com novas ameaças virtuais.

Gerenciamento de acesso e identidade

Ter acesso aos dados e arquivos da sua empresa, de qualquer lugar que os colaboradores estejam, é um dos fatores que têm garantido o sucesso da computação em nuvem. Afinal, tudo o que basta é uma conexão à internet e um dispositivo móvel.

 Contudo, tamanha facilidade de acesso também tem as suas exigências para que tudo funcione de forma segura. Cabe aos bons gestores saber exatamente quem conta com as permissões de acesso de acordo com as suas responsabilidades.

 Uma boa maneira de lidar com esse impasse é checar, periodicamente, os aparelhos que estão conectados à nuvem da empresa. Evite dispositivos pessoais, já que os colaboradores podem ter seus equipamentos infestados de vírus.

Governança             

Para garantir uma governança de qualidade, além de contar com equipe qualificada, nada melhor do que contar com parceiros externos, que tragam uma nova visão para as atividades da empresa.

Por isso, escolha apenas parceiros que realmente entendam de nuvem. Além disso, busque se informar sobre os diferentes tipos de cloud, como as opções pública, híbrida e privada. Cheque as referências dos seus parceiros em potencial para não errar nessa escolha. 

Monitoramento contínuo

O monitoramento contínuo, seja por parte da empresa fornecedora ou realizado pelos próprios colaboradores, é fundamental para que a organização se proteja contra ataques ou falhas causadas por erros humanos.

É preciso entender que danos à infraestrutura de nuvem utilizada pela empresa podem causar até mesmo a paralisação completa das atividades, uma vez que a maioria das empresas utiliza a tecnologia para operar. Por isso, o monitoramento deve ser contínuo e atento.

O monitoramento contínuo, seja por parte da empresa fornecedora ou realizado pelos próprios colaboradores, é fundamental para que a organização se proteja contra ataques ou falhas causadas por erros humanos.

É preciso entender que danos à infraestrutura de nuvem utilizada pela empresa podem causar até mesmo a paralisação completa das atividades, uma vez que a maioria das empresas utiliza a tecnologia para operar.

Por isso, o monitoramento deve ser contínuo e atento. Outro fator relevante é o backup, que deve ser feito de forma periódica para manter os arquivos críticos da empresa sempre seguros e acessíveis.

Conformidade

Antes de escolher o seu serviço de computação em nuvem, não se esqueça de verificar as ofertas de conformidade. Isto é: sua empresa deve ter certeza de que o fornecedor opera dentro da legalidade e oferece todas as condições para que você consiga proteger suas cargas de trabalho e aplicativos na cloud.

Serviços como o Microsoft Azure, por exemplo, oferecem mais de 90 ofertas de conformidade para os seus usuários. Assim, é possível proteger os dados de maneira proativa e obter uma cobertura robusta por parte do fornecedor.

Confidencialidade e integridade

Uma maneira de garantir dados confidenciais e integrais é investir na criptografia dos arquivos. Desse modo, os dados serão acessados apenas por pessoas que tiverem a senha necessária e o nível de autorização adequado.

Contudo, mesmo com um controle rígido de acesso, os vazamentos ainda podem ocorrer, comprometendo toda a segurança da empresa. Entra aí a importância da criptografia para evitar que isso ocorra.

Mesmo que uma pessoa não autorizada consiga ter acesso às informações, a criptografia garante que ela não possa decifrá-los sem a chave apropriada. Assim, há um ganho significativo em confidencialidade e também em integridade, já que os arquivos não poderão ser modificados.

Disponibilidade

Ok, a sua empresa investiu em computação em nuvem e em medidas de segurança para garantir que tudo esteja devidamente protegido. Contudo, você e seus colaboradores passam a reparar que a disponibilidade de dados não é exatamente eficiente.

Nesse caso, não adianta muito contar com dados on-line se eles não podem ser acessados de maneira eficiente, não é mesmo? Esse cenário é muito comum, mas pode ser evitado com alguns cuidados básicos.

Por isso, antes de fechar o acordo com a empresa fornecedora, exija garantias de disponibilidade plena dos arquivos. Verifique se o provedor trabalha com múltiplos datacenters, por exemplo.

Além disso, complemente as nossas dicas em relação à confidencialidade e não deixe de conferir os SLAs, os acordos de níveis de serviço. Eles serão essenciais não apenas para entender o que você está contratando como também para cobrar os resultados prometidos na assinatura de contrato.

Desse modo, podemos dizer que a empresa que garante uma boa disponibilidade também é uma boa opção em relação à segurança, já que a estabilidade no acesso aos dados mostra que ela tem uma boa infraestrutura para prover um ótimo serviço em relação aos outros aspectos.

Como pudemos ver no texto, manter a segurança na nuvem da empresa é uma tarefa que demanda a observação de diversos aspectos. O principal deles é acertar na escolha do serviço, assim como priorizar parceiros que ofereçam o monitoramento contínuo da sua TI.

Além disso, é uma boa ideia contar com fornecedores que trabalhem com soluções reconhecidas pelo mercado. Para garantir a total segurança e na nuvem, assim como um ótimo nível de disponibilidade, nada como contar com soluções como o Microsoft Azure.

E aí, gostou do artigo e quer mostrá-lo para os amigos? Então, compartilhe o texto em suas redes sociais e marque todo mundo que se interesse pelo tema!

0 visualização0 comentário

コメント


bottom of page