top of page
  • Foto do escritorArnaldo Paes de Andrade

Governança de TI: entenda seu papel fundamental nas empresas

A modernização dos processos em uma empresa, movida pela tecnologia propiciou, entre outras coisas, a preocupação com a segurança da informação. Não obstante, gestores devem estar atentos às novas regulações e se adequar a elas, em especial a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados).

A governança de TI tem o objetivo de nortear ações relacionadas ao uso de dados e ferramentas tecnológicas em uma empresa. Ao longo do texto vamos falar sobre a sua importância, como ela é aplicada em uma companhia e quais as suas principais áreas de atuação. Continue a leitura até o final e entenda melhor sobre o impacto da governança de TI nos negócios!

O que é governança de TI?

Empresas que estão sempre atentas às legislações e regulações são mais propensas a ter maior credibilidade no mercado. Isso é feito pela definição de diretrizes a serem seguidas pela alta gestão da empresa e profissionais de TI. Vamos aqui conceituar primeiramente a governança corporativa, de acordo com a definição do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC). Ela diz que:

“Governança Corporativa é o sistema pelo qual sociedades e empresas são geridas, administradas e monitoradas, no que tange às relações profissionais entre acionistas, conselho administrativo, diretoria, conselho fiscal e auditorias independentes, visando aumentar o valor da sociedade, facilitar o acesso ao capital e garantir a longevidade da empresa.”

A governança de TI, portanto, é uma parte da governança corporativa, que tem por objetivo traçar políticas que contribuam para o compliance do setor. O termo também se refere a diretrizes, habilidades e competências que devem ser exercidas por todos os envolvidos. Além disso, os valores, a missão e a visão da empresa precisam estar claramente incorporados à governança de TI.

Qual a importância da governança de TI para as empresas?

Profissionais de TI são instruídos a adotar boas práticas capazes de minimizar, por exemplo, sequestro de dados e vulnerabilidades na rede da empresa. Diferente da gestão de TI, a governança é uma abordagem mais sistêmica de como as atividades devem ser realizadas, de modo a otimizar a aplicação de recursos e servir de suporte para a tomada de decisões. Os processos também são mais bem controlados e monitorados, promovendo integração com os objetivos estratégicos e financeiros do negócio.

Quais as principais áreas da governança de TI?

As cinco principais áreas da governança de TI são:

  1. Alinhamento estratégico: consiste na ação integrada entre TI e processos de negócios;

  2. Entrega de valor: está relacionado com a eficiência do setor de TI, de modo que este gere valor dentro da organização;

  3. Gerenciamento de riscos: mapeamento de riscos e vulnerabilidades da TI do negócio, de modo que sejam neutralizados ou minimizados;

  4. Gerenciamento de recursos: faz a melhora contínua na gestão tecnológica e de recursos humanos;

  5. Mensuração de desempenho: análise de indicadores responsáveis por medir a efetividade das ações realizadas dentro do setor de TI.

A governança de TI tem por objetivo assegurar que as boas práticas adotadas por profissionais do setor estejam alinhadas com os objetivos do negócio. Além disso, é um meio de garantir a segurança da informação e o compliance das operações, de modo a estar em conformidade com legislações como a LGPD.

Agora que você entendeu como a governança de TI é crucial em uma empresa, lhe convidamos a seguir a 4biit.com nas redes sociais. Siga-nos no Facebook, Instagram e LinkedIn!

0 visualização0 comentário

コメント


bottom of page