top of page
  • Foto do escritorArnaldo Paes de Andrade

Migração para o Azure: 5 cuidados que devemos ter no processo

Geralmente, a empresa opta pela migração quando deseja expandir suas operações. Ou ainda, ela quer que os seus sistemas legados, por exemplo, tenham um melhor desempenho, visando se manter competitiva no mercado. Nesse sentido, a cautela é fundamental, visto que a imprudência ao longo desse processo pode acarretar, entre outras coisas, a perda e a invasão de dados importantes do negócio.

Dito isso, é fundamental seguir boas práticas na hora de fazer a migração para o Azure. A solução em nuvem da Microsoft possui grande respaldo no mercado, ajudando empresas a ter mobilidade e flexibilidade em suas operações. Continue a leitura até o final e conheça os 5 principais cuidados a serem tomados no momento de migrar seus dados para a cloud!

1. Avaliação de custos

Antes de falarmos de custos, é impossível não citarmos a importância do planejamento. Tanto a TI quanto a área de negócios da empresa precisam chegar a um consenso do que precisa ser feito em termos da migração para o Azure, visando evitar estouros no orçamento. Se a companhia tiver softwares legados, essa questão se tornará ainda mais delicada, visto que em alguns cenários, a migração deles para a nuvem vai gerar custos adicionais, em vez de diminuir.

2. Backup

Mesmo com o melhor planejamento, sempre haverá o risco de algum dado se perder durante a migração. Por isso, fazer o backup é algo indispensável, pois, em caso de algum erro ao longo do processo, a empresa não perderá nada que seja importante ou crítico, em termos de arquivos e documentos, por exemplo.

3. Desempenho das aplicações

Além dos programas legados, existem outras aplicações que podem apresentar na nuvem um desempenho inferior em comparação a um servidor local. Se este for o caso, é importante identificar essa aplicação e otimizá-la durante ou até mesmo antes da migração.

4. Criptografia

Um dos recursos que torna nuvens públicas como o Azure tão seguras e confiáveis é a criptografia de dados. Nesse sentido, no momento da migração, é preciso verificar se isso está, de fato, ocorrendo, além de outros dispositivos importantes de segurança, como a autenticação dupla.

5. Governança

Não adianta migrar para o Azure se a política interna de governança e segurança permanecer a mesma. O significado disso é o seguinte: os responsáveis por essa questão precisam estar cientes de que certos métodos não funcionam de forma adequada na nuvem. Logo, será preciso revisar a política, tornando-a menos dependente da empresa.

O Azure é uma solução de nuvem pública, de modo que os procedimentos de segurança de dados ficam concentrados do lado de quem fornece o serviço. O mais importante é a empresa planejar com cautela a parte de governança e segurança, porém ciente de que os provedores possuem profissionais e práticas robustas, tornando praticamente nulo o risco de vazamento de dados.

Migração para o Azure é com a 4biit.com

Migrar os dados para o Azure requer a contratação de um parceiro especializado. Nós da 4biit.com somos uma empresa com ampla experiência no mercado, ajudando o seu negócio durante o processo e aumentando significativamente as chances de sucesso na sua migração!

A migração para o Azure tem por objetivos aumentar a eficiência operacional do negócio e reduzir custos. Como vimos, operar na nuvem, apesar de benéfico em termos de segurança e flexibilidade, requer cautela e planejamento por parte dos gestores de TI e negócios da empresa.

Entre em contato com nossos especialistas e obtenha mais informações de como a parceria com a 4biit.com ajudará na migração dos seus dados para o Azure!

1 visualização0 comentário

Commenti


bottom of page