top of page
  • Foto do escritorArnaldo Paes de Andrade

O que é Log4j e como identificar e evitar essa falha de segurança?

Entender o que é Log4j se tornou tarefa elementar para desenvolvedores de software. No final de 2021, a descoberta de uma vulnerabilidade na famosa biblioteca da Apache gerou desespero no mundo da tecnologia.

Essa reação não foi por pouco, já que a maioria dos sistemas web do mundo rodam a biblioteca Log4j. Sendo assim, desde empresas de pequeno porte até as gigantes — como Apple, Spotify e Amazon — foram colocadas em risco.

Dessa maneira, entender do que se trata essa falha de segurança e como se prevenir é essencial para melhorar a proteção contra hackers. Por isso, separamos, neste post, as principais informações sobre o que é Log4j e como evitar essa vulnerabilidade. Acompanhe!

O que é Log4j?

A Log4j é uma biblioteca de registro escrita em Java que foi desenvolvida pela Apache ainda no ano de 1996. Essa biblioteca é utilizada por desenvolvedores de software para registrar logs — isto é, serve para registrar as ações do usuário em um sistema.

Nesse sentido, a Log4j é utilizada principalmente para analisar e monitorar, já que é a partir dela que se faz o registro de envios de informações, erros, processamento de dados e outros fatores que ocorrem na aplicação.

Sendo assim, a biblioteca é muito utilizada para depuração do sistema, identificação de padrões de ataques e outros elementos de auditoria e segurança.

Qual é a vulnerabilidade que afeta a Log4j?

Mesmo sendo uma biblioteca antiga e de uma marca de grande credibilidade, a Log4j pôs em risco as maiores empresas do mundo. Isso ocorreu porque a aplicação continha uma falha extremamente simples de ser explorada por pessoas mal-intencionadas.

Hackers descobriram que havia uma vulnerabilidade que poderia ser facilmente acessada colocando uma string via Log4j. De forma mais clara, os invasores testaram diversas formas de enviar mensagens a um sistema até descobrir o acesso à Log4j, que, por uma falha de programação, acaba executando comandos remotamente.

Dessa maneira, ao ter acesso ao servidor, o invasor pode alterar, copiar e bloquear arquivos. Isso significa que, a partir de uma execução simples de comandos, um sistema inteiro pode ser destruído ou vítima de práticas como ransonware e vazamento de dados.

Essa vulnerabilidade ficou conhecida como Log4Shell e registrada pelo código CVE-2021-44228. Além disso, foi classificada com gravidade 10 de 10 pelo padrão CVSS, por conta da facilidade de ser explorada e pelo grau de dano que pode ser causado no mundo.

Por que essa falha de segurança é tão preocupante e como evitá-la?

O que gerou grande preocupação é o fato de que a imensa maioria dos sistemas corporativos, governamentais, de bancos e de outros segmentos faz uso da Log4j.

Além disso, mesmo que muitos sistemas não utilizem a Log4j em seu código-fonte, podem utilizar serviços de terceiros que possuem a biblioteca em seus códigos, o que também os torna vulneráveis.

Sendo assim, centenas de milhões de dispositivos ao redor do planeta podem ser afetados se medidas de segurança não forem adotadas.

Por essa razão, para evitar que o seu servidor seja alvo de invasões pela Log4Shell, há algumas atitudes que podem ser tomadas:

  1. manter a Log4j atualizada em sua versão mais recente;

  2. desabilitar a JNDI nas versões 2.16.0 e superiores, se possível;

  3. contar com profissionais competentes na gestão de vulnerabilidades;

  4. acompanhar grupos de discussão de cibersegurança e as novidades das aplicações utilizadas em seu sistema;

  5. investir em um antivírus de alta performance;

  6. conscientizar e capacitar a sua equipe em relação à segurança da informação.

Portanto, embora a Log4j tenha gerado muita preocupação para quem desenvolve software ou cuida da cibersegurança, já existem versões que corrigem a vulnerabilidade. Dessa forma, é importante manter rotinas voltadas à segurança para que os riscos de invasões sejam amenizados.

Agora que você já entendeu o que é Log4j, conte-nos nos comentário como a sua empresa lida com a segurança!

1 visualização0 comentário

Comments


bottom of page