top of page
  • Foto do escritorArnaldo Paes de Andrade

Proteção contra hackers: 5 dicas de segurança para você adotar

Com o volume cada vez maior de dados produzidos e circulando livremente pela web, a preocupação com a segurança se tornou uma prioridade. Os hackers estão criando ferramentas e métodos cada vez mais sofisticados para invadir sistemas, roubar dados e prejudicar servidores em busca de vantagens financeiras. Cabe às empresas criarem boas políticas de segurança e adicionar as camadas de proteção necessárias para reduzir os riscos.

Entre os ataques cibernéticos mais praticados ultimamente, podemos destacar o Phishing, o DDoS, que visa inutilizar servidores com excesso de requisições, o Ransomware, que consiste no sequestro de dados, e o novíssimo Criptojacking, que sequestra recursos computacionais de máquinas mundo afora para fazer a mineração de criptomoedas sem que o usuário perceba.

Para ajudar a sua empresa a se proteger desses ataques, neste post, apresentamos 5 dicas de proteção contra hackers. Confira!

1. Utilize softwares originais e atualizados

Ao contrário do que muita gente possa imaginar, as atualizações de software não são implementadas apenas para adicionar funcionalidades e corrigir bugs. Esses procedimentos servem para corrigir eventuais vulnerabilidades de segurança e para implementar tecnologias mais seguras, que reduzem os riscos de invasão, roubo e sequestro de dados.

A melhor maneira de se prevenir contra o uso de softwares desatualizados é adotando o processo de atualização automática, ou seja, sempre que sair uma atualização nova ela será instalada sem que você tenha que autorizar. Outra opção é adotar soluções SaaS, ou seja, software hospedados em nuvem, que são geridos e atualizados regularmente pelos fornecedores, sem que você precise se preocupar com isso.

Outro ponto importante em relação aos softwares é a sua procedência, pois, infelizmente, alguns gestores de médias e pequenas empresas, acreditando estarem economizando, utilizam softwares com licenças vencidas, ou pior, há aqueles que irresponsavelmente utilizam programas piratas.

Além de estarem cometendo um crime, os dados da empresa e de seus clientes estão em constante risco, afinal, um software pirata, além de não poder ser atualizado, pode vir acompanhado de malwares que ficam como parasitas roubando informações e recursos dos servidores da empresa. No fim das contas, o barato pode sair muito caro, seja por problemas com a lei, seja com a perda dinheiro, de dados e produtividade.

2. Invista em um bom antivírus

Os tradicionais antivírus seguem sendo uma das principais camadas de proteção contra hackers no mundo digital e são a primeira barreira que os malwares encontram em uma máquina, bloqueando qualquer suspeita. Ter um bom antivírus nos computadores da empresa não representa um custo, mas um grande investimento que contribui para que não haja grandes perdas com problemas de segurança.

Mas para garantir a proteção de dados tão valioso, a escolha do antivírus precisa ser criteriosa, ou seja, o software escolhido precisa ter todos os recursos necessários para a proteção de dados corporativos e contar com suporte de qualidade, para a solução de problemas inesperados — se considerarmos que boa parte das pequenas e médias empresa não dispõe de equipe de TI interna, o suporte ganha ainda mais importância.

Hoje há excelentes soluções de antivírus que fazem parte de pacotes completos de proteção, que contam com monitoramento para identificar os vírus, colher informações e criar soluções para mitigar os ataques com maior eficiência.

3. Migre para o armazenamento em cloud

A melhora da segurança é uma dos vários benefícios que a migração para a nuvem pode trazer para a sua empresa. Ao adotar esse modelo de armazenamento, além de reduzir uma série de custos internos com equipamentos e manutenção, os seus dados passam a estar protegidos por grandes padrões de segurança, pois estarão em servidores modernos, descentralizados e protegidos por provedores de qualidade.

Mesmo com a melhor estrutura, como qualquer ambiente, os dados em nuvem também podem ser roubados ou sequestrados por hackers se a empresa não adotar as demais camadas de segurança, principalmente em relação ao acesso e proteção de rede com um bom firewall.

Por exemplo, mesmo com a redundância que a nuvem oferece, não abra mão de ter um backup proporcionado, que seja realizado de forma regular, de acordo com o RPO e RTO estabelecidos.

Em relação ao controle de acesso, serão necessários a utilização de mecanismos de segurança importantes, como a autenticação de dois fatores, que cria uma nova camada de segurança nos logins, além da boa política de senhas, que exijam senhas fortes e que haja troca periódica.

4. Conscientize e capacite a sua equipe

Uma das camadas de proteção menos faladas quando o assunto é a segurança da informação, mas uma das mais importantes é a conscientização dos usuários. O uso seguro das ferramentas digitais reduz consideravelmente as portas de entradas para criminosos virtuais, tendo em vista que boa parte das estratégias dos hackers é pautada na possibilidade de erro humano.

Nesse cenário, a capacitação é primordial, cabendo à empresa criar projetos de conscientização para que os colaboradores conheçam os riscos a que estão expostos, quais são as principais estratégias dos hackers e como eles devem agir para se prevenir dos ataques.

Mostre a importância da criação de senhas fortes, da não utilização de equipamentos dispositivos de armazenamentos pessoais nas máquinas corporativas e de não confiar em e-mails suspeitos ou que pareçam ter a procedência dúvidas, afinal, um clique já basta para uma invasão.

5. Procure ajuda especializada

Como ressaltamos no início deste post, nem todas as empresas, principalmente as pequenas e médias, dispõem de verba para manter uma equipe de TI extensa e qualificada, capaz de atender todas as demandas de segurança necessárias nos dias atuais. A gestão da segurança de TI, atualmente, deve ser pautada pelo monitoramento, automação e capacidade proativa de identificar os problemas antes que eles se tornem graves. 

Nesse cenário, contar com um ou poucos colaboradores internamente não é a estratégia mais indicada para as PMEs. Encontre um bom fornecedor de suporte que seja especializado em segurança da informação, para que ele passe a cuidar de sua infraestrutura, fazendo com que as melhores camadas de segurança estejam ao dispor de sua empresa.

Como vimos, a proteção contra hackers deve ser fruto de um trabalho que envolva todos os setores da empresa e que leve a sério todas as camadas de segurança necessárias para atrapalhar o “trabalho” dos criminosos virtuais. As empresas que não atentarem para esse problema estarão sujeitas a terem enormes problemas financeiros, de produtividade, de credibilidade e de desempenho.

Gostou das nossas dicas? Então, curta a nossa página no Facebook e receba em primeira mão as nossas novidades.

1 visualização0 comentário

Comments


bottom of page