top of page
  • Foto do escritorArnaldo Paes de Andrade

Relatório de TI: por que é importante e quais os principais?

A área de TI tem desempenhado um papel cada vez mais estratégico dentro das empresas. Uma boa equipe precisa estar atualizada quanto às principais tendências tecnológicas do mercado, de modo a prover ao negócio todas as melhorias ligadas à transformação digital. Dito isso, o relatório de TI é um componente indispensável e deve ser elaborado de modo a fornecer informações de modo objetivo e que sirva de base para a tomada de decisão estratégica.

Por meio dos relatórios, os gestores têm acesso a uma infinidade de dados sobre os equipamentos de hardware e software da companhia, bem como análises referentes à infraestrutura de redes, por exemplo. Ficou interessado no tema e deseja saber quais os principais relatórios gerados pelo setor de TI? Continue a leitura do nosso artigo até o final!

O que é e para que serve um relatório de TI?

Um relatório de TI contém informações que auxiliam os gestores a saber o quão os recursos tecnológicos estão sendo bem-aproveitados ou não. Esse levantamento permite, por exemplo, identificar softwares ociosos, desatualizados ou com quaisquer outros problemas que venham a demandar ações corretivas. Vale destacar que os relatórios de TI servem para mensurar tanto o desempenho em termos de tecnologia como do negócio.

Em relação ao primeiro, são coletados dados sobre a infraestrutura e os sistemas que rodam dentro da companhia. Já o segundo lida em detectar pontos em que as estratégias implementadas estão divergindo daquilo que foi planejado. Em ambos os casos, as análises são feitas com base em métricas, que devem ser corretamente escolhidas previamente, no intuito de evitar o levantamento de informações desnecessárias e que, não sirvam, de fato, para gerar os insights necessários ao negócio.

Quais os principais relatórios de TI?

Como a TI é uma área bastante vasta, é normal que existam diferentes relatórios para a análise de pontos específicos. Nesse sentido, é válido reforçar o que falamos há pouco: deve-se escolher as métricas que mais fazem sentido dentro do contexto estudado. Por isso, acompanhe as subseções a seguir e conheça os principais relatórios de TI!

Disponibilidade

Um dos problemas que prejudica bastante uma empresa é quando os seus sistemas ficam instáveis ou fora do ar, sendo que tal situação pode implicar em perda de vendas e insatisfação dos clientes. O relatório de disponibilidade lida exatamente com isso: problemas ocorridos em softwares e equipamentos de hardware da companhia.

Esse levantamento tem ainda por objetivo identificar pontos que podem gerar problemas no futuro, relacionados, por exemplo, com a infraestrutura.

O relatório de disponibilidade também é responsável por informar se os softwares usados na empresa devem ou não serem utilizados na nuvem. Em outras palavras, esse levantamento identifica os custos referentes às licenças e manutenção desses sistemas, de modo a avaliar se não seria mais barato para o negócio hospedá-los na cloud.

Existem dois indicadores que são analisados em um relatório de disponibilidade: o MTTR (Mean Time To Repair) e o MTBF (Mean Time Between Failures). O primeiro informa o quão ágil um erro é resolvido, já o segundo mede a quantidade de vezes que ocorre um mesmo problema de disponibilidade.

Capacidade

Consiste em um relatório responsável por medir a capacidade da infraestrutura de TI da empresa dentro de um intervalo de tempo. Na prática, tem por objetivo avaliar e eficiência dos processos envolvidos e se os custos não excedem aquilo que foi estipulado.

Além disso, fornece informações que ajudam a organização a saber se vão conseguir lidar corretamente com demandas futuras, o que pode ocorrer, por exemplo, em caso de aumento no número de operações, exigindo ainda mais de todos os equipamentos de hardware e software da companhia. Vale ainda ressaltar que esse relatório mostra aos gestores a frequência de manutenções preventivas nos equipamentos, de modo a prolongar ao máximo a sua vida útil.

Qualidade

A qualidade está diretamente relacionada com a eficiência do setor de TI. Esse relatório indica se aquilo que foi descrito no planejamento estratégico está, de fato, sendo cumprido, ou se precisa de melhorias. Tais ajustes podem ocorrer, por exemplo, em caso de não cumprimento dos prazos de execução das atividades do departamento.

Além disso, a qualidade impacta diretamente a satisfação dos clientes dessa empresa. Quanto maior for a eficiência dos processos e houver o cumprimento dos prazos estabelecidos, mais confiança isso vai transmitir a quem fechou negócio com essa organização. Consequentemente, pode-se obter diferenciais competitivos que os concorrentes não tenham, o que contribui para essa companhia conquistar uma fatia maior do mercado onde atua.

Acordo de Nível de Serviço

Também conhecido por SLA (Service Level Agreement), o Acordo de Nível de Serviço é feito durante a elaboração do contrato entre as partes. Nele, é especificado o percentual de serviços que a contratada deve entregar, sendo que esse levantamento é feito por meio de um relatório. Também é importante salientar que o SLA lida com fornecedores da empresa, de modo que o acompanhamento deve ser feito com constância.

Assim, é possível avaliar se os serviços prestados por esses fornecedores estão ou não satisfazendo as necessidades da empresa, sob o risco de ônus para o lado da contratada, como reembolsos e multas. Entre as principais métricas de nível de serviço podemos citar:

  1. verificação, o que inclui, por exemplo, segurança, taxa de defeitos e qualidade técnica;

  2. desempenho, envolve indicadores de armazenamento, tempo de atividade, tempo de resposta e expansão ou contração da capacidade;

  3. índice de conformidade, que relaciona as situações resolvidas e o total de incidentes registrados.

SLM

Em complemento ao SLA existe ou SLM, ou Service Level Management. Enquanto que o Acordo de Nível mede o percentual de entrega dos serviços, o SLM verifica se eles estão abaixo ou acima daquilo que foi acordado em contrato. Ou seja, para saber, por exemplo, se um fornecedor está entregando aquilo que ele se comprometeu a entregar, é fundamental elaborar ambos os relatórios, no intuito de fornecer informações de forma clara e minuciosa.

O relatório de TI é um componente indispensável, sendo que, como vimos, existem vários tipos deles que devem ser conhecidos. Vale destacar que o levantamento de informações precisa ser feito de forma eficiente, pelo uso de softwares de análises de dados.

Dessa forma, a confiabilidade e precisão de tudo o que consta nos relatórios passa a ser maior, contribuindo nas melhores tomadas de decisão, bem como na elaboração de planos de ação corretivos.

Viu como é importante conhecer os relatórios de TI e quais informações eles coletam? Continue em nosso blog e aproveite para entender como a automatização de processos melhora a produtividade da empresa!

2 visualizações0 comentário

留言


bottom of page